Após receber relatos de que médicas-veterinárias e médicos-veterinários têm sido impedidos de receber vacinas contra a Covid-19, o CRMV-MG orientou os municípios mineiros, através de ofícios enviados às 28 superintendências regionais de saúde, quanto a necessidade de inclusão dos profissionais, como trabalhadores da área de saúde, nos grupos prioritários para a vacinação.

As médicas-veterinárias e os médicos-veterinários estão inseridos entre os profissionais da área de saúde, nos grupos prioritários do Plano Nacional de Operacionalização da Vacina Contra a Covid-19, em seu Anexo II. O CRMV-MG ressalta ainda que são considerados da área de saúde, conforme a Resolução nº 287, de 10 de outubro de 1998, do Conselho Nacional de Saúde.

Desta forma, respeitando a prioridade daqueles que atuam na linha de frente no combate à Covid-19, dos idosos, indígenas, dentre outros, o CRMV-MG reitera aos municípios, que os médicos-veterinários, devem ter acesso igualitário aos serviços de vacinação, estando inseridos nos grupos prioritários junto aos demais profissionais e auxiliares das áreas de saúde.

Reforçando as normativas do Plano Nacional de Vacinação, o Ministério da Saúde, através do ofício nº 8/2021/DIDT/SVS/MS, reforçou ainda que todos os postos de saúde disponibilizem a vacina aos profissionais. Os médicos-veterinários atuam em diversas frentes, inseridos em clínicas, hospitais, defesa sanitária, desempenhando atividades que vão desde a gestão até a vigilância em zoonoses, vigilância ambiental em saúde, epidemiológica e sanitária, o que os torna mais suscetíveis à doença.